quarta-feira, 28 de outubro de 2009

IMITAÇÃO DE CRISTO
ao ceguinho poetão Glauco Mattoso

Não faço apologia ao sofrimento,
nem ojeriza tenho ao mundo e ao gozo;
não sou vanguarda, nem tampouco idoso;
mas, sim, dou viva ao livre pensamento.

Da graça da fé cega estou isento,
mas da graça e fé cega sou cioso,
e almejo o Paraíso esplendoroso
prometido por todo sacramento.

Cuido, porém, que Cristo deu exemplo
ao sofrer o martírio no Calvário,
altar desta verdade que contemplo:

Será no mais extremo e perdulário
despojo, sem amparo, mãe, ou templo,
que hei de ver Deus em meu itinerário.

Marcos Satoru Kawanami

.

12 comentários :

Henrique Pimenta disse...

Mão cheia,
eia, eia
- a mancheias!

Adriana Godoy disse...

Marcos, um soneto que faz tremer os melhores sonetistas, entre eles o Bardo,o Camões...o Glauco, certamente, deve ficar extasiado. Beijo.

Lara Amaral disse...

Muito bom, colega! Haja fé para este mundo.

E vc é um comédia, Marcos. Citando o meu comentário no blog do Bardo para falar da sua modéstia, hehehe... Diverti-me, adorei!

Beijos.

Mirse Maria disse...

Oi Marcos!
Chego aqui indicada pelo Bar do Bardo, mas não imaginava a riqueza dos seus sonetos.

Parei nesse, embora já tenha lido alguns. Todos impecáveis, e comum toque de humor que faria o Fernando Pessoa morrer de inveja.

Parabéns!

Grande abraço

Mirse

Gian Fabra disse...

acho os sonetos uma prova de fogo (nem me arrisco), mas parece tão fácil pra vc.
parabéns cara
gostei muito...

já estou seguindo, nos vemos mais vezes
abs

Úrsula Avner disse...

Oi Marcos, você é muito habilidoso na arte de "sonetar" tal como o Bardo, entre outros talentos. Um abraço e obrigada pelo carinho em meu blog.

Marguerita disse...

E qual o problema contra as pinguças?
hehehehh

Concordo, a "Madame Sher" é mutcho linda, mas, ainda prefiro a Dita.

Bjs

Marguerita disse...

Do jeito que estão as coisas, nem duzentos anos de feminismo vão sanar milênios de prostituição.

Qto ao tipo de estupro "promoção na empresa" concordo ctg: nojo.
Mas, e os homens também não se prostituem de outras formas para conseguir status?
Com certeza.


E referente aos outros tipos de estupro, tirando o moralismo, pena de quem se iludiu com o processo laboral da coisa e nenhuma pena das que dão pq ganham dinheiro e gostam.

Estupro e violência deixo em outro patamar do sexo.

Ótimo feriadão.

Bj

Marcos Satoru Kawanami disse...

Marguerita,

pois é. ganho o meu pão de cada dia vendendo o meu corpo, e tenho passado muita fome.

Desmanche de Celebridades disse...

Belíssimo soneto. Agressivo, sensível, humoristico, dramático. Enfim, várias emoções ao longo da leitura. Descubro aqui mais um blog de altissimo nivel.

Abraços.

Bezerra Guimarães disse...

Muito bom!

Parabéns

Elga Arantes disse...

bão, bão!!!!