sexta-feira, 18 de setembro de 2009












DESPOETIZANDO


a Bocage







Quem pensa que o Poeta é diferente
só porque faz do Verso a sua saga,
esquece que o Poeta peida e caga,
e assim a rima estraga, inconseqüente!

Mentira que o Poeta sempre mente
e, em brancas nuvens, vive e só divaga…
Poeta, se tem renda, o Imposto paga;
e é da Urbe, da Roça e do Presente.

O ofício de escrever é dom mesquinho,
mais vale um Albert Einstein que um Cervantes;
junto a Newton, Pessoa é tão tolinho…

Nos dias atuais ou mesmo antes,
não transcende o Poeta o seu vizinho:
ou é inócuo, ou irrelevante…

Marcos Satoru Kawanami


.

22 comentários :

lírica disse...

Marcos
Gostei muito daqui, tua poesia é do melhor!
Parabéns
Lírica

BAR DO BARDO disse...

Mas eu sou inócuo e irrelevante ao mesmo tempo... Que fazer?!

(Excelente texto, Marcos. Tipo: se coloque no seu lugar: poeta idiota, na idiotia!)

Tânia disse...

Suas poesias são as melhores, Marcos.

beijoo.

Tânia disse...

Suas poesias são as melhores, Marcos.

beijoo.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Tânia,

Obrigado pela atenção e carinho sempre!

beijo
Marcos


Henrique,

É sempre relevante o teu parecer.

=D
Marcos

Mıss Mαb. disse...

Adorei! :D
Irrelevante ou não, gostaria de ser uma poetiza.. :~

http://chocolatebitter.blogspot.com/

cara de hallo disse...

Cara, não sei escrever. Não nasci com este dom, mas reconheço e admiro as pessoas que com ele conseguem comover outras. Pelo jeito, percebo que tu compartilhas do mesmo sentimento que eu, mas tem uma coisa que a poesia vislumbra que nenhuma das outras ciências o faz: a poesia surge do nada e do nada ela acontece. A poesia não segue um modelo cartesiano. É inesplicável, por isso bela.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Miss Mab,

se vc quer, já é meio caminho andado para ser. eu não tinha dom de nascença, comecei aos 15 anos por causa do ensino médio que me apresentou à Poesia; aí, eu tentei fazer por minha conta, e tive que treinar muito.



Cara de Hallo,

Cara, tem um soneto meu que fala isso aí. Tu me deu a idéia de postá-lo, valeu!


=D
marcos

Lara Amaral disse...

Olá, Marcos. Fiquei feliz com sua visita e tbm com os vários comentários que deixou no meu blog. Ainda mais por um poeta como vc que, pelo pouco que li aqui em sua página, escreve muito bem. Voltarei mais vezes para lê-lo.
E respondendo a sua pergunta, não conheço o poema Ciclo Vicioso do Machado de Assis. Mas vou procurar para ler, fiquei curiosa. Parabéns pelos poemas e obrigada mesmo pela atenção aos meus simples poemas.
Abraço.

Úrsula Avner disse...

Olá Marcos, seu poema é irreverente e muito bem versejado. Agradeço o carinho de sua presença e gentil comentário em meu cantinho. Um abraço.

Mai disse...

Oi, Marcos,
estou aplaudindo de pé...
(parei prá comentar...)
Se quanto mais inócuo e irrelevante, eu for mais ético e amante, quero 'poetar', ser verbo e ser errante, ser poesia e ser amante e conjugar o verbo amar.
Outra vez, aplaudo de pé.
Abraços, belo poeta.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta, voltei pra dizer que linkei vc no meu espaço. Um abraço e uma ótima semana.

Adriana Godoy disse...

Oi, gostei muitíssimo. Um brado às avessas do poeta. Mais um excelente soneto. O bardo que se cuide. bj

Patrícia Lage disse...

A raça do poeta é desgraçada mesmo. As outras então, nem se fala...

Só pra constar:
Teus comentários são fodabagarai.

=)
Meu beijo.

Junker disse...

Bah, toda poesia é uma mentira rimada.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Lara,

O título é um pouco diferente:


CÍRCULO VICIOSO

Bailando no ar, gemia inquieto vaga-lume:
"Quem me dera que fosse aquela loura estrela,
Que arde no eterno azul, como uma eterna vela!"
Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:

"Pudesse eu copiar o transparente lume,
Que, da grega coluna à gótica janela,
Contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela!"
Mas a lua, fitando o sol, com azedume:

"Mísera! tivesse eu aquela enorme, aquela
Claridade imortal, que toda a luz resume!"
Mas o sol, inclinando a rútila capela:

"Pesa-me esta brilhante auréola de nume...
Enfara-me esta azul e desmedida umbela...
Por que não nasci eu um simples vaga-lume?"

Machado de Assis



Patrícia Lage,

"fodabagarai" - ao ler este neologismo(?), minha esposa deu um suspiro!
valeu, muito obrigado.



Junker,

mentira! rsrs



paz e bem
Marcos e Luciane Cristina


.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana Godoy,

pelo que eu já li do Bardo, ele é insuperável. a gente tem o privilégio de ler em primeira mão o que escreve o artista Henrique Pimenta.

ele, sim, vai entrar para os compêndios escolares do futuro.


=D
marcos

nina rizzi disse...

os poetas são uns tudos egocêntricos. ai, eu não vivo sem esses danados. quer dizer, vivo, né: bem mal... é como digo na fabuleta da barata e o imperador...

vc cita ds mais fodas de prosa e verso: cervantes e pessoa.

em tempo: não pago impostos e minto.

um beijo.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Nina,

obrigado pela atenção e carinho.


=D
marcos

Sunflower disse...

"O ofício de escrever é dom mesquinho"


Eu NUNCA poderia ter dito melhor.


beijas

Fee disse...

Piegas e frustrante... é como amar, escrever.

Taí: eu queria ser homem e poeta.

Bjo, Marcos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sun,

vc sempre diz melhor.



Fee,

eu também queria ser homem e poeta.



=D
marcos