quinta-feira, 30 de julho de 2009








POEMA NADA ORIGINAL





É o lápis que escreve?
Ou é minha mão que escreve?
Ou é o lápis e minha mão que escrevem?
Ou sou eu quem escrevo?
Ou são os que me geraram que escrevem por meio de mim?
Ou é a proteína primeira que escreve?
A poesia não é fruto meu.
E estes versos só têm de original o impulso original
do Movimento Primeiro;
o resto é conseqüência: tudo,
até os sentimentos.
Não existe o “Humano, Demasiado Humano”.
Mas, realmente, o Livre Arbítrio é uma pilhéria!


Nhandeara, 8 de maio de 2002
Marcos Satoru Kawanami
.

11 comentários :

Adriana Godoy disse...

O livre arbítrio é uma pilhéria mesmo.bj

Thiago Maia disse...

Foi longe desta vez heim? Fugiu do esquema de sempre, mas continua mandando bem, sempre!!!

Abração!

BAR DO BARDO disse...

Todos e O Todo escrevem conosco.

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Me lembrou um história do Lobo Solitário. Boas lembranças...

Para mim não existe livre arbítrio, infelismente. Mas é uma busca.

::)

Paola disse...

Dúvidas movimentam a humanidade.
Demore bastante pra resolver.
Como dizia Raul
"É chato alcançar um objetivo num instante"

Hum, a liberdade é uma mentira.

Inté

Ana Karenina disse...

Sim, não somos capazes de nos assumir.

Tânia disse...

Axo que nesse caso quem escreve é o teclado.. AUSHUASA

beijo.. adorei.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Tânia,

vc foi super espirituosa, poderíamos dizer: quê "Salto" para o momento!


paz e bem
Marcos

Tânia disse...

aaushuas.. Pois é né.. rs

Mas então.. não voltei pra Salto não.. AINDA.

Lalo Oliveira disse...

O ato de escrever é de causa realmente abstrata, mas dificilmente um lápis tem cognição, de modo que, quero dizer, a idéia de escrever é nossa. =D

Mai disse...

O conjunto, o TODO e um escritor e poeta high tech não dispensa o teclado e o ecrã.

Abraços,