quinta-feira, 30 de julho de 2009








POEMA NADA ORIGINAL





É o lápis que escreve?
Ou é minha mão que escreve?
Ou é o lápis e minha mão que escrevem?
Ou sou eu quem escrevo?
Ou são os que me geraram que escrevem por meio de mim?
Ou é a proteína primeira que escreve?
A poesia não é fruto meu.
E estes versos só têm de original o impulso original
do Movimento Primeiro;
o resto é conseqüência: tudo,
até os sentimentos.
Não existe o “Humano, Demasiado Humano”.
Mas, realmente, o Livre Arbítrio é uma pilhéria!


Nhandeara, 8 de maio de 2002
Marcos Satoru Kawanami
.