sexta-feira, 26 de junho de 2009











SONETO À SOGRA
"Eu amo a sogra da minha mulher!"
(Dicró)


Quem ama a mãe da esposa é destinado
a ter segunda mãe no casamento,
cujo desvelo afável faz momentos
de eternidade, eternos, conjugados.

Caminha o marido lado a lado
com os pais do querido complemento;
quem quer dessa família estar isento,
não pode ter seu próprio clã honrado.

Ser mãe de um ser amado é dom divino,
se santo é o próprio Amor que nos dá a Vida
que vem da Virgem Mãe do Céu querida.

Portanto, aqui redijo um ledo hino,
se tal louvor subido um genro logra
expondo como é bom amar a sogra.

Marcos Satoru Kawanami

.

19 comentários :

Ana Karenina disse...

As minhas sogras sempre foram legais comigo, mas daí a amar. Já é demais!

Paulo Bono disse...

Cara, acho o Dicró sensacional.
E queria que o lance com sogra fosse mais natural. mas realmente não é fácil. mas enfim.

grande abraço

Anna Clara disse...

eu não acredito em espirito santo, catecismo ou etc.

Anna Clara disse...

eu sei que eu acredito no que entendo e não no que ninguém sabe explicar.

Thiago Maia disse...

sogra é um bicho complicado: aparenta ser uma amizade retada, mas quando a coisa fica feia, ela chuta o pau da barraca e já era a união!

Marcos Satoru Kawanami disse...

é..., Thiago, a cria em primeiro lugar.

;p
marcos

Francisco disse...

Sempre quando o assunto é sogra, lembro da velha música intitulada "Feliz foi Adão que não teve Sogra!". Será?
Um abração!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Francisco,

boa, boa lembrança. sempre que encontro com meu amigo Adão, saúdo-lhe assim: estou alegre, hoje eu vi Adão!


=D
marcos

Agda C. Santos disse...

Olá.
Agradeço a visita ao PS e explicando o porque de ter colocado Bernada como definição de Sêmica:
- Bernada significa revolta.
- Alguns posts e histórias tem um quê de revolta por trás.
E quanto a sogra, bom. A minha nem fala comigo mesmo. Tá bom demais.
aushaushuahs

may disse...

Homens e suas sogras... e assim caminha a humanidade, hadhads x)

Eloisa disse...

aiai, ri demais nos comentarios! HAHAHA

Marcos Satoru Kawanami disse...

Elô,

mesmo sendo um poema sério, a sogra não perde o estigma e acaba emergindo um tom de ironia imaginário.

Paola disse...

Bem... Eu nunca tive uma sogra ^-^
Mas,um amigo teve uma que parecia uma mãe mesmo, brigava com a própria filha por ele!
Tomara que eu tenha essa sorte, uh."Ter uma sogra como inimiga é risco de vida."
Bom poema, é um assunto bem interessante de se poesar...
;D
Inté

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Relação complicadíssima!!!!...
Deixa a tua noiva ver o TEU comentário aqui...Não quero nem ver!...rsrsrsrsrsrsrs
BJS!

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Existem sogras e sogras... mas eu só tive SOGRAS!

Fee disse...

Eu amo minha sogra. Por muitas vezes, ela fez em minha vida, o papel que minha poderia ter feito, mas...
De uns tempos pra cá, ela anda meio estranha, mas quero acreditar que seja só uma fase ruim.

Ei, como você vai, hein?!

Bjo.

Azys disse...

Olá, maquete é coisa do meu curso de arquitetura simmmmm, mas os olhos vermelhos nessas férias serão de ROCK HUAHhAIUhaIUhAIhAIH Adorei seu bloggg Beijão!

Isadora disse...

nao nao e nao, não é bom amar a sogra.

BAR DO BARDO disse...

Marcos,

Seus comentaristas são tudo gente de boa...

Bem, a minha sogra nunca me aceitou 100% como um da família. Hoje estou separado da fia dela e de certo modo o fio dela foi cortado também (não, o fio não tinha nada de umbilical). Mas a sogra não era e não é má pessoa, foi um amparo para a minha ex.

E o seu poema, como sempre, muito bom!!!

Como é mesmo a paradinha? Ah, lembrei: um soneto talar!!!