segunda-feira, 15 de junho de 2009









A POESIA










Após disposto o mundo, o infinito,
Logo o Senhor pensou na Poesia;
E foi Ele o primeiro, em harmonia,
Que escreveu o poema mais bonito!

Pôs-lhe o nome de “Amor – Amor bendito –
Fez-lhe um hino de encanto, a melodia
Que ainda canta hoje a cotovia…
E aos Anjos ensinou-lhes som e rito!

Houve festa no Céu, cânticos ternos!
Inspirados, suaves e fraternos
Na voz dos Anjos, santos e profetas!

E foi desde essa hora, sublimada,
Que Deus deixou a lira consagrada
No coração e alma dos Poetas!

Clarisse Barata Sanches

.

3 comentários :

Eloisa disse...

Muito bonito o poema!

Maria Inácia Bellico disse...

Poema do Criador. Liindo.
Saudades de estar aqui.

Bjim*

BAR DO BARDO disse...

Puxa, essa menina não tem sangue de barata... Lindo soneto!

Mas no meu coração, além de uma lira despedaçada e trocadilhos de péssimo gosto, só restou mesmo foi pimenta em conserva...