quinta-feira, 26 de março de 2009

SONETO ERÓTICO

Ao ferir meu sensível nervo óptico,
a forma feminina desejada
da carne exuberante e cobiçada
inspira o meu primeiro texto erótico.

Beleza de um pujante apelo exótico,
desvelo minha Vênus despojada,
desnuda por completo, abraseada
pelo pudor desfeito em cio caótico!

O quadril abundante e tão carnudo
se oferece ao olhar inebriado
do bardo sempre casto, assim sisudo.

Desprezando o pudor civilizado,
eu lhe osculo o clitóris já tesudo,
e enfim penetro o ventre bem amado.

Marcos Satoru Kawanami


.
IMAGEM: pintura de Artêmio Fonseca de Carvalho Filho (Temito)
.