domingo, 8 de março de 2009

SOL & LUA

O fim da tarde se esboça
Como a angústia da procura;
Vivo meu triste presente
Quando o sol se vai poente

Maior desgosto não há
Para o sol que sempre busca
Diurno, sem ter como achar
A altiva e singela lua.

No fim da tarde se esboça
A certeza da amargura,
A tristeza da procura.

Vivo meu triste presente,
Meu presente de procura,
Como o sol que busca a lua...


Marcos Satoru Kawanami

.

8 comentários :

Eloisa Faccio disse...

A procura frustrada e incessante do sol pela lua foi expressada da forma mais apaixonante possivel.
amei, amei, amei.
por um momento sorri.
com teu poema tirou o peso do mundo que carregava no coração.
ah, e o obrigada pelos comentarios, são confortantes.
me desculpa se sou ingrata e nao respondo.
mas pode ter certeza que leio sempre teu blog, e faço questao de divulga-lo!
abraços, eloisa! :

Nathália disse...

O fim da tarde me faz bem porque meu momento preferido é a noite.

Beijo!

**Daya** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diandra disse...

Eu fico impressionada como você tem histórias legais.
E o jeito que você as conta também é demais.

Logo mais acho que você deveria fazer um livro com os comentários que você deixa no Letrinhas.
Sempre autobiograficas.

Cami disse...

Tá româaaaaantico, hein!!!

Bjssss

Samara disse...

Que delícia de poema!
Marcos, obrigada por mostrar em cada palavra uma vida mais leve e singela.
Adoro vir aqui!

Diandra disse...

meu presente também é de procura...

parece que é eterno!

Tânia disse...

Lindooo...
simplesmente lindooo
adorei Marcos !!
beijãoo