quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

OS LÍRIOS

Olhai os lírios do campo,
disse o Mestre muito amado,
nunca labutam em trampo,
mas no auge do seu reinado

Salomão jamais tão belo
se mostrou assim trajado
tal qual um lírio singelo
sem cultivo cultivado.

Privilégio teve o Lírio
desde então na sacra história,
mas eu canto em meu delírio

a vária e morena Gérbera
que, singular por não ter rima, torna o verso
livre para amar sem protocolo,
livre para amar espontaneamente…


Marcos Satoru Kawanami
.

11 comentários :

Tânia disse...

Marcos..você e seus belos poemas..
Adorei !!
Bjos

Fee disse...

Ah, um poema floreado! Eu sabia que faria um, singularmente, lindo! O Lírio simboliza a pureza, a Gérbera representa a inocência, você sabia?

Diandra disse...

ahhh, já fiz isso outro dia. ao que parece não funcionou. :(

Anna Clara disse...

Verso livre.
Gostei, apesar de não entender de flores.

Ray disse...

Aeee Marcão, mandou bem no verso sobre lírios e gerberas. Desse jeito vc vai conquistar as desprogramadas. hhahahahah

Bacana. Beeeem bacana.

Beeijo da moça de sapato GIGANTE! rs

Marianna Neves disse...

Oi, Oi!! Dessa vez pegou leve.
E mais uma vez arrasou... =D
"livre para amar espontaneamente..." =D

Beijoooos.

Monday disse...

gostei da Gérbera ... pensando seriamente em gerberar, de quando em vez ...

Daniel disse...

Bacana esse seu poema. Vim lhe agradecer comentário deixado sobre meu texto no E-Blogue. Gostei muito do seu blog, voltarei mais vezes, um abraço.

http://so-pensando.blogspot.com

PSEUDO-ANÔNIMA disse...

Ahhh...tão puro quanto o valor simbólico do próprio lírio.
Estou encantada!

Lili disse...

Nossa que bonito...=) Gosto mais de gerberas do que de lirios...embora as duas flores sejam bonitas...=)
beijinhos

Luh Mahé disse...

uai..Lirios, Gerberas..
cade a Azaléia?

assim não vale!