segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009






JUANA VÊ

"Meus olhos vêem tudo, mas nada compreendem."
Juana S. C.







Eu vejo tudo, e não compreendo nada
do que ao redor de mim se vai movendo;
meu pensamento tem sempre o adendo
socrático que assumo, conformada.

Num corpo de mulher fui adequada,
e desde que nasci estou morrendo;
mas alma livre sou, e vou querendo
os ledos sonhos dos contos de fada.

Está em toda parte o bom mistério
sagrado que compõe a Criação,
decifrá-lo não cabe ao meu olhar.

Pois sigo um firme e racional critério
decantado em humilde coração:
eu vejo tudo, para tudo amar.


Marcos Satoru Kawanami

.