quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

SONETO DA EXCEÇÃO

O mundo deve estar mal arranjado,
desencontros se dão a todo instante:
um chora desprezado, sendo amante;
outro despreza, sendo bem amado.

Se por divina mão edificado,
nosso planeta vai, porém errante,
seis dias não terão sido o bastante
para trabalho assim tão complicado.

Gente boa a sofrer a vida inteira
é vista em toda parte sem pecado,
e gente má é vista prazenteira.

Meu caso de exceção vai ajustado,
porque, se pecador sou de carreira,
no mundo, dores mil tenho penado.


Marcos Satoru Kawanami

8 comentários :

Fee disse...

Eu não tenho dúvidas. O mundo está, sim, bem torto. O jeito é viver como se pode, mudando o que pode, esperando que sempre tenha, mesmo, um jeito pra tudo e, no pensamento, a máxima de Caetano: "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é".

Adoro sonetos, pra mim, é a roupa de poesia preferida.

Abraços

Sunflower disse...

Pecadora é carreira? Como não estou recebendo nada com isso além do karma?

beijas

Luiz Gonzaga disse...

Ousado em compor um soneto.
Bela ousadia, belo soneto.

Arlequim disse...

Ótimo. Ficou muito bom.
Escreve bem, viu.
Beijos

Adriano Queiroz disse...

Nunca tinha pisado nestas terras.
Gostei.
E olha que não sou muito dado aos sonetos.
Os do Glauco Mattoso eu gosto tb.

Abraços.

Anna Clara disse...

A minha IDÉIA continua com acento, assim como a freqüência.

E obrigada pela aula de Introdução a Escatologia.

Fee disse...

Não te contaram? As desprogramadas SÓ gostam de mulheres.

Rs... é brincadeirinha de mau gosto.

Vamos, vamos, escreva mais sonetos!!

BAR DO BARDO disse...

Mistura de Camões (desconcerto do mundo) com o bom e nem tão velho assim Boca (carne versus espírito).

Seus textos são uma exceção na rede. Sério!