terça-feira, 27 de janeiro de 2009

FRÁGIL FORÇA DA FLOR

Quando, em campo de batalha,
no horizonte uma bandeira
é a flamejante mortalha
branca da nação inteira;

quando chega a derradeira
força da força que encalha,
e mais forte é a brincadeira,
e a farsante força falha;

só então tem-se a vitória
sobre toda servidão,
sobre uma tal força inglória

que uso mau faz da razão;
quando o beijo finda a história,
quando a flor vence o canhão.


Marcos Satoru Kawanami
.

11 comentários :

may disse...

Nossa, muito lindo esse poema *-* Você é o que, escritor ou coisa do tipo? DAHIADHOI
aah e quanto ao meu regime, não se preocupe, estou fazendo tudo certinho! :D SDHDSJOAPPJ ;*

Fee disse...

A vida está sempre divida em dicotomias, não é? Nas batalhas, o bem vence o mal, mesmo que não pareça assim.

Esse foi um dos mais bonitos que já li aqui.

:o)
Fee

Tânia disse...

Lindo esse poema..
Poxa.vc é um escritor e tanto viu..adoro seus textos..
Ah!! é sim..nós sempre nos acostumamos né?? mesmo que seja complicado no começo..Mas eu, graças a Deus tenho facilidade pra fazer amizades..(minha sorte)rsrs
Bjos !

Princesa moderna disse...

lindo esse poema! amei seu blog! simplesmente faz viajar! beijos

Fee disse...

Ahahahaaaa... como dizem por aqui "a Luh te tirou de tempo" rsrs
A última postagem foi dela.
Te peguei. rá. Desta vez, foi você quem não prestou atenção no autor do texto. rs
Adoro essas vingancinhas não planejadas. hohohhoho

Luh Mahé disse...

hohoohoho..
la Fernanda é cosi cattiva..ahhh questa ragazza!!
allora! dove hai imparato lo italiano?
aqui me conta uma coisa, eu sempre tive na minha cabeça q tem duas formas de usar o mal.
ou seja: mal..para: passar mal
e mau: pra lobo mau.
mas tem gente q fala que "mau" com u não existe, é vero questo????

Lais Dutra. disse...

bonito (:

Obrigada por consertar meu 'erro', mas não queria que ficasse muito formal, sabe? Mas obrigada mesmo assim.

:*

Nêssa disse...

gosto de suas opiniões, gosto mesmo. :D
gostei de como mesclou as palavras 'frágil' e 'força' no título, de como as aderiu a mesma coisa(no caso a flor) seguidas uma da outra :]
poema muito lindo.

Sonia Schmorantz disse...

Mira-te pelo calendário da flores
Que são só viço e esquecimento.
Desprende-te dos ofícios do dia,
Apaga os números, os anos e anos,
Releva a data de teu nascimento.
E assim, por tão leve sendo,
Por tão de ti isento,
De uma quase não resistência de pluma,
Abraça o momento,
Te apruma,
Tome por bagagem os sonhos
E apanha carona no vento.

(Fernando Campanella)

um bom dia

Luh Mahé disse...

Ma tu sei bravo!!! autodidata!!! Ho vissuto a Firenze (Florença) per 1 ano e meso. Ho fatto solamente 1 mese di italiano, ho imparato solo il presente. Tutto il resto ho imparato ascultando e guardando la TV.
Ma penso che me manca molte cose da imparare ancora!!
bacci

Cami disse...

Selinhos pra vc no meu blog!

Bjs