sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

FRACTAL


FRACTAL
- soneto em alexandrinos -
(ao meu amigo pintor e matemático Artêmio Fonseca de Carvalho Filho)

A forma está presente em toda a natureza…;
inútil refutar tamanha onipresença,
meu caro modernista afeito à desavença,
que empunha o gládio em vez da lira (com certeza).

Poeta, no pós-tudo, até sem ter destreza
na rima amor com flor, e ninguém há que vença
ensinar-lhe o valor da antiga e firme crença
que o esmero, ao divinal fitar, propõe beleza.

A prova aí está, desponta na ciência
vitaminada, além ultra, que é chic e tal
— o zelo da razão é paz, sem penitência…

Em um minério ou bem em plantas de quintal,
em um soneto ou bem na gênese da essência:
a forma lá está, na equação de um Fractal.


Nhandeara, 21 de janeiro de 2009
Marcos Satoru Kawanami
.